o suporte foi feito em laminado de alumínio vendido nas lojas de material de construção para rufos ou calhas de água com medidas especiais. O fixador dos faróis , onde estão os furos para colocação é um perfil de alumínio de boxe de banheiro achado na rua (lixo) com 2'X1/2 no exato tamanho que precisava sem corte, tem nervuras e parede dupla que neste caso terá mais resistência a torção e foi muito bom encontrá-lo. Não sei o nome do perfil por não ser da área de serralheria mas é irrelevante, dos faróis eu tinha 4 guardados para concertar a carcaça, dois da Rural e dois da Brasília, meu amigo João Carlos Miller Thiele, o Gringo me presenteou com dois, os outros dois que tem as hastes de fixação soldadas foram doados pelo também amigo José Carlos Soler Teixeira dos Santos dono da casa onde recuperei quase todo o veiculo*. Todos usam lâmpadas H3, a capa dos faróis foi confeccionada em nylon emborrachado na cor preta, cobre todo o conjunto e só pode ser retirada ´´fora de estrada``, só o piloto pode acessar a regulagem de altura dos faróis que é acionado por um punho de alavanca externa que o move, o navegador só pode ajudar na fixação que é feita por dois botões externos um do seu lado. O encontro do painel dianteiro com o assoalho é uma área inclinada, distante dos pés do navegador, em consequência existe um balaústre no piso para apoio dos pés. Sem conhecer as medidas do original fiz o que melhor me pareceu aproveitando furação existente pela retirada do freio de mão de Kombi retornando para o mod original (selectraction), ficou bem parecido.

A parte de cima do bagageiro é basculhada por dois pares de molas hidráulicas chamadas de amortecedor de tampa de mala e no final, na parte de trás do veiculo e voltados para trás dois faroletes com lâmpadas H3 que serão colocados somente em horas de precisão tipo resgate ´´fora de estrada``.

Na lateral abaixo da linha do teto ganchos plásticos muito práticos para prender cargas móveis, na parte que basculha mais quatro ganchos  para a carga fixa como Caiaques e/ou bote (todos doação do Gringo).

Mais abaixo entre assoalho e estribo, a entrada do tanque de combustível, coisa feia; parecido com um pórtico onde os hipérboles não eram retos o conjunto entrada e a área interior era  um autentico paraboloide hiperbólico, bem...  quádricas e geometria analítica são coisas pré-históricas  passemos a forma alcoolizada de traçar linhas, que tem minha abjeção por ter este veiculo motor de propulsão a gasolina. Simplificando: uma chapa de alumínio de 2mm extraída do reforço do resto de um sofá-cama terminal recortada em seção retangular e arredondada em um dos lados, ai sim formando um pórtico, afixada com dobradiças e travando com fecho rolete para armário  de cozinha, tinha que ser rápido porque precisava fazer a pintura.   

Os retrovisores são comuns a muitos utilitários populares com preços acessíveis, já vieram instalados, mudei a colocação e aumentei os suportes por não conseguir ver o o espelho do lado do navegador. Do lado dos retrovisores esquerdo e direito na carroceria e na traseira acima da lanterna do lado  esquerdo (escorregou e ficou torta) a indicação de modelo do veiculo; G 15 CD, feitos de uma maneira inusitada que gostei muito e explico os ´´porquês``: sabem as fontes, adaptadores, transformadores de tensão e coisas do gênero? O carretel onde é enrolada a bobina que faz a transformação de tensão ou corrente é montado com uma série de chapas de ferro com desenhos em E e F , recortei como precisava para compor a escrita e colei com resina de poliéster usada na composição da fibra de vidro, aplicando a resina por cima para eliminar os cantos cortantes das chapas, lixando na ponta dos dedos com pedaços de lixa d´água nº 80 , depois outra camada com massa rápida para minimizar os contornos e dar a impressão de ter sido feito na forma da própria carroceria, lixada da mesma forma com lixa d´água nº 100 e aplicar a base (primer), para ver imperfeições, é grande o nº de plaquinhas dá para testar antes, pode fazer que dará certo e com paciência ficará melhor.

Abaixo da divisão na traseira da carroceria que é do tipo saia e blusa tem colada a inscrição: Rio de Janeiro, essas de placa traseira, abaixo na ponta do para-choque a bandeira brasileira colada com resina de poliéster e sob o verniz de acabamento. Nas laterais ao lado dos retrovisores e abaixo da inscrição G 15 CD e alinhados na vertical luz complementar da seta com lanterna retangular de 10X05X01 com lente amarela. Lanterna e seta dianteira original de fiat 147 hermética com luva de borracha que já esta fora de produção.

Na forração das portas adaptei o ´´porta coisas`` do Monza Tubarão que tem auto falantes e luzes de alerta de porta aberta da Ipanema ou Caravan . 

A lanterna de luz do teto era da minha Caravan e coloquei mais uma lâmpada palito que acende no painel ou quando abre as portas, com interruptores genéricos de luz de porta.

Por trás do para-brisas acima do retrovisor interno uma luminária com duas lâmpadas fluorescentes tubulares de 15 , recuperação e aproveitamento de luz de emergência doméstica pifada.

No painel tem um jogo de botões para direcionar o som do toca fita; um TKR autentico e famoso ´´Cara preta`` para frente, para trás ou para fora na traseira no hora do churrasco. 

No painel está instalado o Rádio de comunicação e microfone, presente do Totonho.

Abaixo do Porta luvas (cofre) foi instalado outro Porta-luvas bandeja de passat.

 Na lateral no alinhamento dos vidros da porta foram colocadas janelas de alumínio de correr com perfis recuperados e recortados de Toyota com vidros cortados sob encomenda e trincos do Toyota Bandeirantes. O reservatório de água não pode ser esquecido, está instalado entre as paredes e acima da linha do piso, entre a caixa de rodas e a porta do lado direito. Composto por quatro tubos de PVC de 100mm  com 50cm cada usando caps. como fundo e tampa, estão interligados ao fundo por cotovelos e nipes de 3/4, uma mangueira cristal de 3/4 faz a ligação com a torneira

No teto na parte da frente posicionado sobre o entre bancos um ventilador/exaustor* com a entrada de ar cortada no teto exatamente no tamanho das hélices, a carenagem de proteção contra refluxos de água e insetos foi feita com desenho simples e eficaz e fica sob a proteção do bagageiro, a fôrma feita em madeira esta guardada para quem precisar, no entre bancos da frente um cooler para bebidas geladas e comidas conservadas. Entre o cooler e o banco do piloto a alavanca selectraction, recolocadas por mim, o antigo proprietário deu sumiço na original . Na parte de trás são mais três bancos todos reclináveis. Os cintos de segurança são os de três pontas. Sobre as cabeças dos ocupantes uma prateleira com a extensão da largura do carro bem própria para umas revistas, um pullover ou garrafinhas de água. Não é preciso estar parado para acessar o modulo de cargas para um lanche, onde havia uma pequena abertura para o vidro traseiro foi colocada uma janela de correr de duas peças mas em toda extensão da largura do carro, creio que era de um Hyundai ganhei do antigo proprietário como se fora para desocupar lugar. É só abrir e pegar o chocolate que deve estar em uma das quatro prateleiras com telas. Dentro do modulo de carga esta o cilindro de gás por baixo da caixa de som e o cooler grande para gelo seco. A bateria é de 60 Amp e continua no lugar mas o acesso é feito pelo compartimento de carga em alçapão cortado no piso, e com tampa removível. Em cima fica a bateria de 160 Amp doada pelo Totonho. A tampa ou porta do modulo de carga é aberta por dois pares de molas hidráulicas da tampa da Kombi , as fechaduras são cópias das originais. Para reforçar o teto pelo uso de bagageiro com alguma ´´tranqueira`` como caiaques, bote e barraca com ´gentes` foi colocado como reforço uma moldura de ferro de perfil L com 2'x2'X1/8 como um pórtico ou caixonete em volta da tampa ou porta.  A entrada de ar para a caixa do motor é no final da carroceria com uma tampa trapezoidal aparafusada, foi reforçada, agora com encaixe e fechadura  transformou-se em uma caixa de ferramenta no lado esquerdo, o lado direito é a caixa de bateria.

O Para-choque traseiro foi feito com um desenho possibilitando envolver o pino bola do reboque seguindo a legislação e esta dentro do rebaixo da mesa criada no meio e afixada a travessa da longarina e no próprio para-choque, a parte de cima esta forrada com chapa de alumínio xadrez para evitar derrapagem e tem polainas na lateral em chapa de fibra de vidro, a forma está guardada para quem precisar. A descarga é original, mas foi adaptado um espaço para o catalisador, o silencioso é de caminhão para não torturar o boxe l600 deixando-o livre, o escapamento é aéreo numa mangueira de alta temperatura com reforço externo em malha de aço, afixada na carroceria com abraçadeiras do sistema de abastecimento de helicópteros comprados em ferro-velho, o balanço para amortecer as vibrações entre carroceria e motor, está feito com um duto sanfona de aço inox com 2' 1/2 sobra do projeto ´´Recuperação de Toyota `` do Gringo que passou para minha Rural e foi usado no G 15 . Para um bom acabamento e melhorar o visual, usei a carenagem que escondia o silencioso da Brasília. O suporte de estepe é giratório em cima de dois pivôs de direção de Volkswagen montado em perfil quadrado de ferro de 1'x1/8X1/8, as bases dos pivôs são em cantoneiras de 2'X2'X3/16 alongadas e duplicadas na base com a própria cantoneira cortada. No lado oposto a descarga aérea, a escada para subir ao terraço montada em perfil de tubo quadrado (metalão) de 30X30X02 cinco degraus em chapa de alumínio xadrez, virado em perfil U e um degrau retrátil abaixo do para-choque acabamento superior em curva ligando e reforçando os perfis da latera com fixação superior na carroceria e inferior no para-choque. No lado direito e sob a escada um filtro de ar de Kombi modificado para uso externo e na vertical, com tomadas de ar em tubo de PVC de 50mm e complemento com mangueira flexível até o carburador. No teto no centro da traseira a terceira luz de freio que foi montada com partes de lentes quebradas de lanterna traseira do passat; é luz de freio, seta e pisca alerta.

As lanternas traseiras são do modelo da Kombi mas com o desenho das lentes mais moderno. Na suspensão molas espirais mais longas, e amortecedores com molas nas quatro rodas, fitas de nylon de contenção da suspensão alongadas. Rodas: um jogo de Toyota transformadas para cinco furos = 15-8-5-112 (Passat alemão, Mercedes e um Audi)(a Kombi é 14-6-5-112), Um jogo de pneus Firestone 31X10X50 R 15 LT M/S ATX Radial com cravos e mais um jogo Michelin LTX 235-75-R15 / 110/101R em rodas de Ômega refuradas, a largura e a centralização do miolo dessas rodas não é boa para meu carro, terei que usar espaçadores, notei que os pneus traseiros roçam um pouco, mas só os Michelin. Nas caixas de rodas traseiras, para-barro ou lameiras de 400X400mm montados a partir de tapetes automotivos com olhos de gato retangulares. Toda metalurgia usada foi de ferro velho ou doadas. Os balaústres acima das portas laterais e da traseira são de tubos hidráulicos de ferro com 3/4' de diâmetro interno e 1' 1/8 externo, sobras de obra de casa e os fixadores foram feitos partindo do perfil em L de ferro de 2'. Os estribos foram feitos de um perfil de ferro em U de 2'1/4X5/8 Doado por José Carlos Soler, erroneamente chamado de xadrez (é só olhar o piso dos ônibus) Fixado na tampa do bagageiro inferior que foi feito com perfil de estantes de ferro , aqueles perfurados para prender as prateleiras, reminiscências das prateleiras doadas por Luís Claudio Fontenelle Vanderley vulgo Fonfom, mais um perfil tubular em ferro quadrado de 30 mm para reforçar o estribo e recoberto com fibra de vidro, as fechaduras foram feitas a partir dos cremones dos fechos de janelas e portas antigas, no final e sob os estribos mais próximo as rodas traseiras olhos de gato fixado na tampa do bagageiro. Na direção do filtro de ar na traseira, abaixo do para-choque uma torneira de 1/2 em plástico para lavar as vãos ou outros, o reservatório esta logo a frente da caixa de rodas do mesmo lado. O caiaque está preso em cima. E sempre me fazem a mesma pergunta: Já está pronto? Está andando mas ainda falta fazer o bote inflável, e ainda não tem direção hidráulica. O fotógrafo oficial deste projeto não deu importância a retirada do motor para meia sola e nem a guaribada na caixa de marcha, segundo ele não eram coisas que eu estava fazendo criando, só consertando, por gostar da música desse trabalho para mim foi um autentico concerto, (aguarde: Brevemente aqui neste local um boxe 1780, dizem que é 1800 mas na verdade é 1780CC). Ângulo de ataque e fuga de 45 graus. As fotos são de: José Carlos Soler Teixeira dos Santos Filho, Mariana Viegas de Oliveira, Alexandre Viegas de Oliveira, José Carlos Soler Teixeira dos Santos, Antônio Arrais e eu.

(corneta no teto*) A citada corneta tem uma história a parte; foi presente de meu irmão mais velho Neemias Beato de Oliveira(Ney) já falecido quando em um domingo fui procura-lo e estava na oficina para atender um amigo, era oficina de Mecânico Eletricista o dito amigo tinha perdido uma grana para um Policial Rodoviário Federal

por causa da buzina corneta sobre o caput de seu conversível, comprou uma buzina nova de uma só corneta e foi instalar sob o caput, as duas cornetas são pequenas mas sempre as vi como trombone e pistom pela diferença de tamanho. Isto foi em 1961 e eu tinha quatorze anos, ou seja 56 anos são passados. (Nesta época eles já roubavam)

ventilador/exaustor* Um outro causo; Acompanhei Totonho ao ferro velho de um amigo dele para verificar os geradores de energia elétrica uns a gasolina outros a diesel, como já haviam marretado tudo para separar o cobre procuramos por partes no lixo, encontrei o que me pareceu uma hélice, me doaram por já estar no lixo era o descarte dos recicláveis, lixo mesmo. Descobri que não era só uma hélice era o próprio ventilador, mostrei para o cara e disse não valer o desmonte pela quantidade de cobre que podia leva-lo. Levei desmontei, lavei, lubrifiquei e montei, as caixas de escovas estavam travadas por pó de carvão e areia, isso foi entre 2011 e 2014 não dei importância e não lembro, mas o funcionamento é perfeito.

• O segundo local dos trabalhos, quando sai da base de primer para o verde foi em rua perpendicular a anterior onde estava o carro, no terreno onde residia Totonho irmão de Anielton e nesta faze os dois me ajudaram muito. Também dei minha contribuição por que fui elevado a condição de pai com consideração de irmão, escravizado como peão mas ajudado pelos dois. Não podia omitir este registro.

.

https://www.flickr.com/photos/don_nacho/sets/72157685961773704

https://www.facebook.com/natanael.alpinat/posts/1868373073178270

Não consegui colocar o vídeo da confecção das telas dos faróis está horrível mas da para entender como fazer com os passos seguintes

Uma placa de compensado com corte que possibilite a passagem do disco de corte em uma esmerilhadora, desbastadora ou lixadeira, o único pré-requisito é que seja circular (rotativa). O disco de corte deve ser o que se usa para cortes em aço inox que  a espessura é de 1 mm. Aliás não precisa ser uma placa de compensado usei essa por ter sido parte do entulho na obra da igreja ao lado e já tinha os cortes (painel de eletricidade) . Deve ser uma superfície plana com tamanho mínimo da moldura a ser cortada. Regule a altura do disco na metade da espessura do tubo. Usei tubo de latão de 3/8X1/16 por já tê-lo em estoque. Idealize todas as medidas das molduras que serão feitas Faça o contorno da moldura em uma madeira, arredonde os cantos, faça um sulco ao meio para acamar o tubo e não deixa-lo sair do centro e curve os tubos de suas molduras. Faça a emenda no tubo com solda, um cano que entre ou um por fora. Moldura de faróis e lanternas prontas vamos aos cortes:  faça um teste antes para certificar a altura do corte em relação ao tubo, ponha os calços se for preciso, coloque a moldura na base tendo o disco de corte ao centro, bata um prego na frente e outro atrás do disco, na longitudinal do tubo para limitar a profundidade do corte, os pregos serão os batentes. Feito os cortes, meça o interior das molduras e corte as telas , faça pressão no centro da tela formando uma concavidade e encaixe no corte do tubo, tire a pressão e desamasse se for preciso, pressione o tubo na morsa de bancada para fechar o corte sobre a tela, ou feche em meio a duas madeiras com leves marteladas verificando a pressão exercida. Para fixa-la a carroceria tem ENES maneiras; pode ser tubo com pop do diâmetro interno do tubo em  L na outra extremidade aparafusada na carroceria ou reto aparafusado por dentro (mais decente) , L de barra chata aparafusado ou rebitado. Dê o seu melhor com outras formas de fixação

GURGEL G15 CD 4 PORTAS ANO 1982

Esse era o que eu queria; quatro portas. Mais para frente colocaria um motor elétrico. Era vender o Montanha e importar motor e baterias de lítio dos states. Não consegui lugar para trabalhar nele, nem vaga em posto de gasolina. Ficou difícil e a fila andou.

O verdão ai  ao lado ficou feio pela descaracterização da carroceria, de frente parecia um Et, com a cabeça comprida, mas serviria. Seria transformado em camper com tudo que tem direito: cama, geladeira, fogão, chuveiro, varanda e quarto/barraca no segundo andar. O mesmo problema do 4 portas. Seria muito espaçoso no quintal de alguém. Mas a vida segue.

P.S.:Falando em transformação, só pra lembrar, no Montanha não foram feitas modificações na carroceria, a qualquer momento pode voltar ao normal de fábrica.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now